5 maiores erros da Segurança da Informação

As empresas brasileiras ainda têm muito o que aprender com relação à segurança da informação sobre a proteção de dados sigilosos. A cada dia, surgem novas ameaças virtuais. Por isso, as organizações precisam ficar mais atentas e não cometer erros que possam comprometer a proteção de suas informações corporativas.

Para manter suas informações corporativas seguras, veja quais são 5 maiores erros da Segurança da Informação cometidos pelas empresas:

1. Não fazer investimentos para a proteção das informações

Quanto mais a tecnologia avança, novos tipos de vírus são criados e a sofisticação dos ataques virtuais aumenta. Por isso, a área de TI precisa investir e se manter atualizada quanto às novas ameaças, para evitar invasões no sistema corporativo.

Em muitos casos, as empresas preferem investir no outsourcing em TI para manter a proteção de dados e garantir a segurança da informação. Isso evita que a organização seja invadida digitalmente e ainda ajuda a reduzir custos. Portanto, não deixe de investir na proteção dos dados corporativos!

2. Falta de um plano de contingência para a segurança da informação

Uma falha grave de várias organizações  não é contar com um plano de contingência para o caso de falhas no sistema ou possíveis ameaças à segurança. Como consequência, as empresas que não têm esse plano B correm um sério risco de sofrer roubos de informação e perda de arquivos importantes.

Para evitar esses problemas, é importante fazer uma gestão proativa da segurança da informação, apostando em planos de contingência para o caso de falhas e contar com ferramentas de proteção eficientes.

3. Ausência de um controle de usuários para o acesso de informações da empresa

Algumas empresas não fazem o controle de privilégio de acessos que cada usuário deveria ter. Os gestores que deixam isso ocorrer permitem que os colaboradores tenham acesso a informações sigilosas, o que é uma vulnerabilidade indesejada para qualquer empresa.

Para evitar esse erro, é importante classificar cada usuário e definir quais são os privilégios aos quais cada um deles tem acesso. Assim, evita-se que informações passem de um lado a outro, sem qualquer tipo de controle.

4. Não fazer a classificação correta dos dados corporativos

Sem fazer uma classificação correta dos dados da empresa, como sensíveis, confidenciais, públicos, etc., muitas organizações acabam tratando todas as informações da mesma maneira.

E é justamente onde mora o perigo: existem dados que precisam ser tratados com maior proteção, pois são altamente sigilosos e não podem sofrer vazamentos, como: dados de fornecedores, clientes, projetos em andamento, operações financeiras, entre outras.

Portanto, o ideal é que as empresas façam uma classificação cuidadosa de seus dados e informações corporativas, investindo em criptografia para evitar que as informações caiam nas mãos erradas e causem uma grande dor de cabeça para os gestores.

5. Dedicar poucos recursos à gestão de segurança da informação

Na correria diária das empresas, muitos gestores e donos de negócio acabam por dedicar pouco tempo e recursos para a área de TI. Isso não permite que seja realizada uma gestão eficiente da segurança digital da organização.

Para evitar essa vulnerabilidade dentro de uma organização, é preciso uma mudança de mentalidade corporativa e que a gestão invista em empresas especializadas em segurança online, que façam todo o controle das informações, para que elas se mantenham sigilosas e protegidas.

Ignorar um problema para agir apenas quando o sistema corporativo já sofreu algum tipo de ataque é o erro mais grave de todos. É muito mais barato investir em segurança da informação como forma de prevenção do que após um erro grave que pode comprometer toda a estrutura de uma empresa.

Gostou do post? Então compartilhe, curta a nossa página no Facebook e se mantenha sempre atualizado com os novos conteúdos do blog!

 

Compartilhe com um amigo!