[ECOIT]-Capa-de-blogpost---crimes-cibernéticos

Crimes cibernéticos: saiba onde denunciar caso você seja vítima

A internet é um universo repleto de possibilidades e oportunidades. E pensando que ela é cada vez mais acessível, mais pessoas estão sujeitas aos crimes cibernéticos.

 

Esses delitos comumente aplicados em sites ou até mesmo em redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn entre outras) devem ser expostos e combatidos.

 

Entender melhor o que são cibercrimes (cybercrimes em inglês) é fundamental para evitar o acontecimento dessas infrações.

Mas o que são crimes cibernéticos?

Crimes cibernéticos, ou cibercrimes, são atividades ilegais praticadas em ambiente virtual que vão além do roubo de informações financeiras.

Utilizam-se de computadores e internet para atingir os mais variados objetivos, seja por meio de uma rede pública, privada ou doméstica.

 

A grande diversidade de crimes cometidos engloba infrações que podem atingir um único usuário ou não, assim como podem causar apenas danos em um ou mais computadores.

 

Com isso, é possível entender que essas infrações podem ocorrer em um destino isolado ou em vários destinos simultaneamente, o que é muito comum.

 

É importante entender que as práticas mencionadas podem acarretar danos tanto pessoais como empresariais.

Principais exemplos

Saber os principais tipos de crimes cibernéticos auxilia no seu entendimento e é essencial para que você saiba se está sendo vítima de alguma dessas atividades.

Os ataques mais comuns são os vírus de computador, os programas e códigos maliciosos, os roubos de informações, fraudes de dados, além de acessos não autorizados.

Outras violações de segurança são as de crimes do tipo revenge porn (pornografia de vingança), cyberstalking, assédio, bullying e até mesmo exploração sexual infantil.

Quando o pensamento é referente a negócios, as organizações devem estar cientes de que os danos não são apenas invasões nos seus dados e informações confidenciais.

Os delitos podem gerar outros prejuízos financeiros, visto que as empresas são obrigadas a realizar a manutenção ou substituição de máquinas danificadas.

Tipos de crimes cibernéticos

As classificações criadas para os crimes cibernéticos não são eficazes, devido à dinâmica  da inovação por qual passam os computadores e a internet.

A evolução gerada pelos crimes cibernéticos é gigantesca, da mesma forma como acontece com as novas formas delitivas que vão surgindo. Com isso, as alcunhas destinadas a esses crimes tornam-se obsoletas em pouco tempo.

Porém, existem duas classificações mais comuns e atuais para especificar os tipos de cibercrimes existentes.

A primeira é “crimes cibernéticos puros, mistos e comuns”. A segunda, “crimes cibernéticos próprios e impróprios”.

Cibercrimes puros, mistos e comuns

Os crimes considerados puros são aqueles em que, basicamente, o computador é o alvo dos infratores. Ou seja, quando o sistema de computador (pessoal ou corporativo) sofre um ataque.

Utilizando-se do direito penal, pode-se dizer que um crime cibernético puro é “toda e qualquer conduta ilícita que tenha por objetivo exclusivo o sistema de computador, seja pelo atentado físico ou técnico do equipamento e seus componentes, inclusive dados e sistemas”.

Os cibercrimes mistos ocorrem quando o sistema de computador é usado como “arma” da prática desses delitos. Sendo, então, quando o uso é destinado a jogos ilegais ou fraude.

Logo, entende-se por cibercrimes mistos “aqueles em que o uso da internet ou sistema informático é condição sine qua non para a efetivação da conduta, embora o bem jurídico visado seja diverso ao informático”.

Os crimes cibernéticos comuns, por sua vez, são aqueles em que o computador é acessório, servindo apenas para guardar informações roubadas ou ilegais.

Sendo assim, “são aqueles que utilizam a Internet apenas como instrumento para a realização de um delito já tipificado pela lei penal“.

Cibercrimes próprios e impróprios.

Nesta classificação, entende-se por crimes próprios aqueles em que o sistema informático da vítima é o objeto e o meio da infração.

Entram na categoria em questão as condutas praticadas por hackers, tanto de invasão de sistemas quanto de alteração ou inserção de dados falsos. Atingindo diretamente o software ou hardware do sistema de computador.

Os cibercrimes impróprios são aqueles que visam atingir um bem jurídico comum (patrimônio, por exemplo), utilizando da tecnologia como animus operandi, ou seja, um novo meio de execução.

Esse tipo de crime cibernético não é mensurado com facilidade, por atingir um bem imaterial não reconhecido no armazenamento de informação, insuscetível de apreensão como objeto.

Como denunciar

Caso acredite já ter sofrido danos com atos cibernéticos, ou conheça alguém que se tornou vítima desses delitos, saiba que existem delegacias especializadas disponíveis em alguns estados do Brasil.

Alerte as autoridades locais e, em alguns casos, a Polícia Federal ou a Confederação Nacional do Comércio. Agindo assim, você estará auxiliando no combate aos crimes cibernéticos.

Como evitar?

São vários os tipos de cibercrimes. Será que consigo me proteger? Será que consigo proteger minha empresa? São perguntas que você deve estar se fazendo nesse momento.

Porém, existem atitudes básicas que você pode tomar a fim de evitar ser alvo de crimes cibernéticos. Logo abaixo listamos algumas delas para você:

  • Use uma suíte de segurança para a internet, para garantir proteção contra vírus e ameaças emergentes da web;
  • Use senhas fortes, sem repeti-las em sites diferentes e mude-as regularmente;
  • Mantenha todo software atualizado, principalmente sistemas operacionais e suítes de segurança na internet. Os hackers utilizam explorações conhecidas no software para obter acesso ao seu sistema e a aplicação de patches reduz significativamente a probabilidade de você se tornar uma vítima;
  • Gerencie as suas configurações de mídias sociais para manter a maior parte das suas informações pessoais e privadas bloqueadas. Os criminosos de engenharia social podem, facilmente, obter suas informações pessoais com apenas alguns pontos de dados;
  • Proteja sua rede doméstica com uma senha de criptografia forte e com uma VPN que irá criptografar todo o tráfego que sai dos dispositivos, até que chegue ao destino desejado;
  • Mantenha-se atualizado sobre as grandes violações de segurança. E, caso tenha uma conta em um site que tenha sido afetada, procure saber o que foi obtido e atualize imediatamente suas informações e senha.

​​​​​​​As atitudes mencionadas acima servem como complemento à conscientização digital, que é o caminho mais barato e seguro para o bom uso da internet e de suas tecnologias.

E se você procura uma solução de segurança contra crimes cibernéticos, conheça a Eco IT, empresa pioneira em computação cloud no Brasil, totalmente preparada para gerenciar seus dados com máxima proteção.


Compartilhe com um amigo!