Exemplos de Computação em nuvem: SAAS, IAAS e PAAS

O cloud computing está cada vez mais integrado às rotinas de várias empresas. Esse tipo de solução tornou-se popular nos últimos anos por permitir o acesso a sistemas e recursos diversificados, como plataformas de gestão e de backup remoto. Com elas, empresas podem tornar as suas operações mais eficientes, uma vez que cada colaborador terá uma experiência de uso de alta qualidade e mobilidade.

Entretanto, antes de escolher qual tipo de soluções de cloud computing é a perfeita para o seu negócio, é importante que a empresa entenda como a nuvem funciona. Cada tipo de plataforma possui características únicas, o que auxilia a aplicação desse tipo de tecnologia em diversos tipos de ambientes.

Quer saber mais sobre exemplos de computação em nuvem? Então leia o nosso texto de hoje!

Infraestrutura como serviço (IaaS)

O IaaS é um modelo de negócios em que empresas fornecem o acesso aos recursos básicos de um servidor, podendo ser contratado pelo cliente final, mas, muitas vezes, demandando o auxílio de um parceiro especialista (o Cloud Broker). Ele pode incluir mas não se limitar a contratação de serviços de rede, recursos computacionais ou de armazenamento de dados.

Esse é um cenário em que a empresa contará com alto poder de controle sobre os recursos computacionais, uma vez que ela irá atuar na gestão da infraestrutura. Nesse sentido, a alta flexibilidade se manifestará com a facilidade com que novos recursos poderão ser contratados, tornando processos internos mais eficientes. Soluções desse tipo, como é o caso do Microsoft Azure e da Amazon AWS são ideais para empresas que buscam eliminar preocupações e riscos relacionados com infraestrutura física de TI.

Plataforma como serviço (PaaS)

O PaaS é um tipo de serviço de cloud computing que facilita a administração dos recursos contratados, permitindo que a empresa e o seu departamento de tecnologia concentrem-se nas metas de seus serviços.

Ele elimina a necessidade de gestores de TI se preocuparem com a necessidade de administrarem infraestruturas de hardware. Assim, a empresa poderá contar com uma plataforma de serviços na nuvem mais simples e prática.

Normalmente, o PaaS é voltado para empresas desenvolvedoras de software, que pretendem criar um ambiente de execução de sistemas próprios na nuvem, vendendo algum serviço ou solução SaaS. Esse é o caso de plataformas de vendas e ferramentas de desenvolvimento. Esse tipo de iniciativa é voltada para usuários avançados, que irão criar ferramentas próprias para as suas necessidades.

Software como serviço (SaaS)

O software como serviço (ou apenas SaaS) é uma das formas mais populares de utilização de serviços de computação em nuvem. Nesse caso, as empresas ou usuários podem licenciar ferramentas mais eficientes, seguras e escaláveis.

Esse é o caso, por exemplo, do Google Apps e do Microsoft Office 365. Nessas soluções, de fácil contratação e com poucos riscos para o cliente final, pessoas podem executar suítes de aplicativos de escritórios completas direto no navegador, possuindo uma experiência de uso semelhante à de um aplicativo desktop. Por se tratar de softwares de uso diário, esse tipo de plataforma pode ser utilizado em ambientes pessoais e corporativos.

Para a empresa, o SaaS elimina preocupações com distribuição de correções, novas funções e gerenciamento de sistemas. Todas essas atividades são feitas pelo prestador de serviços, que se compromete a fornecer a melhor experiência de uso possível em diversos dispositivos.

Tornando processos mais eficientes

Não importa o seu modelo de negócios ou o tamanho da sua empresa. A cloud computing sempre terá uma solução que pode ser integrada às suas rotinas operacionais. Ferramentas de gestão, máquinas virtuais e mesmo serviços de armazenamento remoto podem ser contratados em busca de uma companhia mais eficiente e dinâmica.

Com a computação em nuvem, a empresa terá toda as suas áreas otimizadas. Profissionais poderão ter mais mobilidade ao ter a possibilidade de acessar os seus recursos em qualquer local com uma conexão de internet.

Já setores que trabalham com desenvolvimento de software podem empregar máquinas virtuais como uma forma de tornar o ambiente de testes mais próximo da realidade do usuário. Juntas, essas opções ampliam a competitividade da empresa, aumentando o seu potencial de inovação e as suas receitas.

Gostou do nosso texto? Então assine a nossa newsletter e receba em primeira mão as últimas novidades sobre tecnologia e inovação!

 


Compartilhe com um amigo!