Gestão de riscos: qual a importância dela na área de TI

A gestão de riscos tem ganhado cada vez mais destaques nas empresas. Todas as áreas precisam dessa gestão, entre elas, evidentemente, a TI.

Os processos e rotinas organizacionais estão cada vez mais dependentes de recursos e ferramentas e, a medida que se expandem e evoluem, precisam de mais cuidado com os riscos que podem trazer.

Gestão de risco sistematiza as possíveis variáveis que afetam os negócios e prevê determinados cenários, minimizando perdas. É evidente que não existem empresas livres de riscos, mas conhecê-los é importante para atuar.

O que você conhece sobre gestão de riscos e o que você tem feito na sua empresa? Confira nosso artigo e fique ainda mais por dentro do tema!

O que é gestão de riscos?

Gerenciar riscos é o processo de planejar, organizar e controlar recursos e pessoas para minimizar danos ou fazer com que os riscos virem oportunidades.

Prever os riscos é uma prática importante, afinal, com isso é possível reverter o que pode dar errado e, às vezes, alcançar resultados positivos ao longo do processo. Os processos envolvidos na gestão de riscos em TI possuem alguns propósitos, como:

  • Mitigação de problemas e sinistros;
  • Prevenção de roubos de informações e ataques virtuais;
  • Backup e restauração de dados importantes e críticos para a empresa;
  • Adaptações na infraestrutura de TI e na estrutura organizacional visando acomodar os demais processos de gestão de riscos em TI;
  • Adoção de indicadores e métricas que permitam avaliar os riscos envolvendo procedimentos e rotinas suportadas pela TI, além da eficiência e robustez das ferramentas e soluções usadas.

Como fazer gestão de riscos?

A gestão de riscos é feita de maneira contínua e algumas etapas são fundamentais de serem seguidas. Confira!

Identifique os riscos

O primeiro passo na gestão é identificar quais são os riscos do seus setores. Você sabe quais ameaças podem atrapalhar seu negócio?

Converse com colaboradores, faça análises de mercados, considere riscos internos e externos, detalhando todos e entendendo as variáveis envolvidas.

Analise as vulnerabilidades

Após mapeados os riscos, é preciso analisar e mensurar cada um deles em relação a seu efeito e frequência. Determine a probabilidade da ocorrência e o impacto de cada um, classificando e priorizando.

As vulnerabilidades podem ser conceituadas como fraquezas que reduzem a segurança dos sistemas ou das redes. A análise desses pontos frágeis possibilita elaborar planos de contingência. Entre as vulnerabilidades podemos citar:

  • Ameaças naturais: são difíceis de prever, mas é importante verificar os locais de instalação dos maquinário, como está sua proteção contra incêndios, alagamentos, entre outros;
  • Estrutura física: é a verificação de sinais de comprometimento da estrutura do local em que os equipamentos estão instalados;
  • Hardware e Software: compõem o núcleo da TI, abrangendo equipamentos e sistemas. Dimensione as máquinas utilizadas e a rotina de manutenção preventiva. Faça atualizações frequentes para evitar as vulnerabilidades e brechas de segurança, que impedem ataques hackers;
  • Recursos Humanos: é uma vulnerabilidade esquecida muitas vezes e pode ser dar sobre roubo de informações, fraudes e perda de informações, mesmo que involuntariamente.

Mapear todos esses aspectos leva a um diagnóstico preciso das vulnerabilidades, que possibilitará elaborar um planejamento adequado.

Elabore planos de contingência

Passada a identificação dos riscos e a análise das vulnerabilidades é momento de elaborar planos de contingência para a empresa. Essa etapa abrange listar ações a serem tomadas casos os riscos ocorram. O objetivo é ter alternativas e soluções para os problemas que podem surgir.

Treine seus colaboradores

A capacitação é um ponto essencial, principalmente para a área de TI. Colaboradores bem treinados sabem como utilizar as ferramentas disponíveis e reduzem os riscos de forma considerável.

Atualize a estrutura física

É muito importante que a estrutura física do negócio, principalmente para os equipamentos de TI seja tido como relevante para a organização. Boas estruturas evita ameaças naturais e dá mais segurança aos processos.

Atualizar a estrutura física não quer dizer sobre ter os equipamentos mais caros e recentes do mercado, mas é sobre precauções, atualizações, implementação de dispositivos de segurança e controles de acesso físico, por exemplo.

Faça plano de testes

Essa prática é fundamental para que a gestão de riscos da TI seja eficiente. Conte com testes, como análise de vulnerabilidade e Penteste, que têm como finalidade permitir que as falhas sejam encontradas.

Planos de testes devem fazer parte de um cronograma e deve ser executado com frequência.

Quais as vantagens da gestão de riscos?

Ter uma gestão de riscos eficientes na TI – e em qualquer setor – dá vantagens competitivas para as organizações, como:

  • Menos paradas e interrupções em atividades devido a panes, perdas ou furtos de dados ou instabilidades na rede decorrentes de ataques cibernéticos, o que ajuda a aumentar a eficiência e evita retrabalhos;
  • Proteção contra vazamento de informações sigilosas ou conteúdos digitais que podem provocar prejuízos;
  • Prevenção de perda de dados importantes de clientes e funcionários, especialmente aqueles de contato ou documentação que podem até gerar problemas judiciais;
  • Proteção das informações contra acidentes e desastres naturais (inundações, tempestades, desmoronamentos) ou criminosos (incêndios, destruição de equipamento), desde que implementadas ações de backup em dispositivos armazenados em outras localidades ou na nuvem;
  • Garantia de que só pessoas autorizadas tenham acesso a determinados dados, protegendo-os de espionagem de concorrentes ou de cair em mãos erradas;
  • Prevenção de perdas financeiras;
  • Aumento da competitividade de mercado;
  • Ajuda na avaliação da evolução da organização;
  • Cria oportunidades para o negócio.

Estar ciente da importância da gestão de riscos para a TI é essencial para a tomada de decisões, que geram resultados financeiros e otimizam os processos de trabalho.

Prever riscos significa também melhorar a qualidade das entregas e diminuir perdas com erros evitáveis. Gerir riscos diz sobre estar bem preparado para combater ameaças e identificar oportunidades. Como você tem feito isso na sua empresa?

Aproveite que agora você sabe mais sobre gestão de riscos, implemente algumas ações e conheça ainda mais sobre análise de riscos!

  • GILVANIO

    Poderia indicar algum software de gestão da análise de risco de TI?

    • Vinicius Durbano

      Oi Gilvanio, tudo bem?

      Sim, temos o EcoTrust, um produto desenvolvido pela própria Eco IT. Veja o site: https://www.ecotrust.io/
      Se quiser uma apresentação, mande um e-mail pra gente: [email protected]

      Abraço!


Compartilhe com um amigo!