Mobile First: a importância dos dispositivos móveis nas ações de marketing e vendas em 2015

De acordo com o Gartner, até 2018 mais de 50% dos internautas irão utilizar dispositivos móveis (tablets e smartphones, essencialmente) para navegar na web e consumir conteúdos, além, é claro, de trabalhar e comprar, em todo o mundo. Cada vez mais as atividades online serão feitas na ponta dos dedos em qualquer hora e em qualquer lugar em que haja conexão.

No Brasil, onde, de acordo com a IDC, foi registrado um crescimento de 49% na venda de smartphones e foram comercializados mais de 2,3 milhões de tablets somente no terceiro trimestre de 2014, essa tendência se torna cada vez mais visível.  O país faz parte do grupo de nações emergentes em que os usuários estão adotando a tecnologia móvel como sua principal fonte de consumo de conteúdo num ritmo mais frequente – algo que os internautas dos países ricos já adotaram como exclusividade.

Como a tecnologia móvel influencia as empresas

É preciso que as empresas estejam preparadas para atingir seu público alvo, por meio de ações digitais que entreguem conteúdo na palma de suas mãos. Se as pessoas estão preferindo se comunicar via smartphones através de aplicações, não é mais possível pensar um site ou uma landing page que não estejam adaptados a estes dispositivos.

Por outro lado, também não dá mais para os departamentos de TI ignorarem o uso cada vez mais constante de dispositivos móveis dentro das próprias organizações, como ferramentas de trabalho. Cada vez mais, os profissionais querem utilizar seus próprios dispositivos para gerenciamento e colaboração além dos limites de espaço físico.

É o momento de consolidação do fenômeno conhecido como BYOD (Bring Your Own Device), quando os usuários preferem utilizar seus próprios equipamentos para trabalhar e, com isso, se tornam mais produtivos e inovadores. Esta tendência é um desafio para muitas corporações, já que são levantadas questões como segurança da informação, capacidade de conexão e até gerenciamento patrimonial. Os sistemas das empresas estão preparados para rodar em aplicações mobile? Há segurança suficiente para impedir ataques a estes softwares? São todos questionamentos que quem não quer perder as vantagens do ‘Mobile First’ deve se responder se quiser trabalhar para resolver em tempo hábil.

Ações de Marketing e Vendas considerando a tecnologia mobile

Quando falamos em Marketing Digital, cada vez mais, precisamos adaptar nossas ações para os dispositivos móveis, permitindo a melhor experiência de uso, com interatividade e criatividade.

Ou seja, ao iniciar uma campanha de marketing, é preciso considerar funcionalidades e interfaces que melhorem a maneira com que clientes e prospects se relacionem com a marca, ao mesmo tempo em que as questões técnicas também garantam segurança e conectividade constante. Um site responsivo (que seja adaptado para os dispositivos móveis), por exemplo, ao mesmo tempo em que permite navegação por mobile devices também precisa entregar conteúdo contundente que faça com que o público se interesse pelos produtos e serviços da empresa.

Quando falamos em ‘Mobile First’, estamos falando em pensar sistemas, aplicações e ações de marketing digital, primeiramente, para os dispositivos móveis, ao mesmo tempo em que consideramos os detalhes técnicos que viabilizam a experiência móvel com segurança.

Se as pessoas estão preferindo acessar conteúdos e realizar trabalhos por meio dos dispositivos móveis, é preciso que as empresas adaptem suas ações e ofereçam, cada vez mais, a mobilidade ao seu público. Por uma questão de tendência e oportunidades.

Você já pensou em incorporar o “mobile firt” na sua empresa!  Dê a sua opinião sobre essa nova realidade!


Compartilhe com um amigo!