[ECOIT]-Capa-de-blogpost---malware

O que é malware: entenda tudo sobre ele e os danos que ele pode causa

Para se prevenir contra ataques e cibercrimes você precisa entender o que enfrenta e os danos que pode sofrer. O primeiro passo para isso é saber o que é malware.

 

Vamos abordar o tema com o intuito de informá-lo melhor sobre a ameaça, seus tipos e perigos e como se proteger para não se tornar mais uma vítima de crimes digitais.

O que é malware?

O termo malware é proveniente do inglês e é a forma contraída para a expressão“malicious software” (software malicioso). Refere-se a qualquer software capaz de infectar um sistema secretamente.

 

Sem o conhecimento do usuário, esse software intencionalmente causa danos, alterações e, até mesmo, rouba informações suas e da sua empresa. Pode também bloquear o acesso do usuário ao sistema.

 

Sendo um termo usado para se referir a uma variedade de modelos de software hostil, o que é malware pode aparecer de maneiras diferentes, seja como código executável, scripts de conteúdo ativo, ou outros softwares.

 

Um programa que causa danos devido a erros ou má concepção não é, portanto, um malware.

 

Como exemplo, temos softwares legítimos escritos antes do ano 2000 e que tiveram erros causadores de grandes avarias durante a mudança do ano de 1999 para 2000.

Contexto Histórico

Para você compreender o que é malware e como ele afeta sua empresa, precisa entender como ele surgiu.

 

Frequentemente projetado visando lucro, o malware por vezes é utilizado contra sites do governo e de empresas para coletar informações importantes e bloquear acessos ao sistema, interrompendo a continuidade de operações e, consequentemente, do negócio.

 

Porém, o início dos ataques cibernéticos é marcado pela tentativa de hackers testarem suas habilidades contra sistemas diversificados, os quais eram vistos como um desafio a eles.

 

O acesso generalizado à internet permitiu a popularização desses delitos. E como consequência, existem muitos desenvolvedores de software black hat que prestam serviços em troca de grandes quantias de dinheiro.

 

A contratação desse “profissional” é feita tanto por agências de inteligência que desejam acessar informações sigilosas, quanto por organizações criminosas em busca de novos meios para atuarem no mundo digital.

 

No entanto, o malware é também usado contra pessoas físicas a fim de obter informações diversas – detalhes de identificação pessoal, números bancários ou de cartão de crédito e senhas.

 

Até aqui, foi possível entender o que é malware e como o software surgiu. Assim, para que o entendimento desse programa seja completo, a seguir falaremos sobre a forma que o mesmo atua.

Como ocorre a infecção?

O acesso aos dispositivos é, normalmente, feito através da internet, podendo ser por meio de muitos caminhos, por exemplo: e-mails; sites invadidos; demonstrações de jogos; download de músicas, softwares e arquivos diversos.

 

Esse software malicioso criado é muitas vezes disfarçado ou encaixado dentro de outros arquivos (não maliciosos), com o objetivo de passar despercebido pelo usuário.

 

Logo, computadores desprotegidos, pessoais e de rede, estão em risco constante contra essas ameaças. Portanto, entender o que é malware é fundamental na defesa do seu sistema.

 

É também essencial saber como esse software malicioso age para causar danos na sua empresa, visto que tal conhecimento o guiará na sua compreensão sobre o que é malware e sua categorização, além de ajudá-lo no seu combate.

 

Veja abaixo alguns exemplos mais comuns das formas como a sua organização pode ser infectada:

 

  • Download de softwares gratuitos da Internet que contêm malware oculto;
  • Download de softwares legítimos que incluem malware oculto;
  • Acesso a websites infectados;
  • Click em mensagens de erro falsas ou janelas pop-up que iniciam o download de um malware;
  • Anexos de e-mail que contém malware.

 

Há muitas formas diferentes de um malware se espalhar, mas isso não significa que não é possível detê-lo. Apenas que se faz necessária uma melhor conscientização digital.

Tipos de malware

É de extrema importância saber quais são os tipos de malware para, então, você entender o que é malware e as ameaças às quais está sujeito junto do seu negócio.

 

Quando você escuta falar sobre alguns tipos de software virais, cavalos de Tróia e spywares, na realidade o assunto são categorias de malware que facilitam o entendimento de o que é malware. No seu surgimento, os exemplares mais comuns eram os vírus.

 

Desde 2011, a alta de ataques cibernéticos do tipo é relacionada a worms (outra classe de malware) e cavalos de Tróia.

 

Listamos abaixo uma categorização mais comum de tipos de softwares maliciosos classificados como malware. Com ela, você poderá identificar um possível responsável por um ataque e prejuízos sofridos.

Vírus

São softwares que prendem-se a arquivos limpos e infectam outros arquivos limpos.

 

Eles têm a capacidade de se espalhar descontroladamente, danificando funções centrais de um sistema e excluindo ou corrompendo arquivos diversos.

 

Geralmente aparecem na forma de um arquivo executável e saber disso é de extrema importância para entender o que é malware.

Adware

Programas responsáveis por exibirem propagandas e anúncios sem a permissão do usuário, de modo a deixar lento tanto o computador, quanto a conexão de rede existente.

 

A terminologia de origem inglesa é uma junção de duas palavras: ad = anuncio + software = programa. Eles comumente assumem o formato de pop-up, abrindo janelas indesejadas no seu navegador.

 

Mesmo não sendo essencialmente malignos, tratam-se de softwares de publicidade especialmente agressivos que minam a sua segurança ao oferecerem anúncios

 

Essa oferta de anúncios funciona como porta de entrada para vários outros malwares, os quais podem causar prejuízos e danos muito maiores a você e a sua empresa.

Cavalo de Tróia

O nome desse malware surgiu como referência à tática usada na Guerra de Tróia, fundamental para a destruição dessa cidade. Consistiu no uso de um cavalo feito de madeira oferecido como um suposto pedido de paz pelos gregos.

 

Sendo, aparentemente, um presente direcionado ao rei, os troianos levaram o cavalo para dentro das muralhas da cidade. Durante a noite, o cavalo se revelou uma armadilha.

 

Enquanto todos dormiam, soldados gregos saíram de dentro da estrutura oca de madeira, abrindo os portões para que o restante do exército entrasse e colocasse um fim à cidade.

 

Portanto, um Troian Horse se passa por um programa que simula alguma funcionalidade útil quando, na verdade, esconde um programa que pode causar diversos malefícios aos computadores e seus usuários.

 

Esse software malicioso possibilita invasões e roubo de informações do usuário. A principal forma de propagação ocorre pela internet, onde são oferecidos como ferramentas úteis ou vitais para seu sistema.

 

Ou seja, ele se disfarça de software legítimo ou está incluído em um software legítimo que foi violado. Age discretamente e cria “portas dos fundos” em sua segurança para permitir a entrada de outros malwares.

 

Saber a origem do Cavalo de Tróia facilita seu conhecimento sobre o que é malware.

Spyware

Como o próprio nome sugere, o spyware trata-se de um malware projetado para espionar e coletar informações.

 

Ele se esconde em segundo plano e guarda todas as informações daquilo que você faz online, desde senhas e números de cartões até hábitos de navegação, por exemplo.

 

São normalmente instalados através de falhas na segurança, as quais podem ser proporcionadas por malwares do tipo adware. Podendo ser embalados junto de um software instalado pelo usuário (aplicações peer-to-peer).

 

Logo, um spyware tem como objetivo coletar informações sobre atividades realizadas no sistema da sua empresa. Sendo aplicado como software malicioso, seu uso está aliado a práticas ilegais.

 

No entanto, existem empresas de anúncio que se aproveitam de spywares para entender o consumo realizado pelo seu público e, assim, selecionar que tipo de anúncio vai lhe apresentar.

 

Não há como identificar qual spyware é bom e qual não é. O critério é sempre desconfiar; assim você terá maior conhecimento sobre o que é malware e estará protegido.

 

Contudo, vale lembrar: um spyware não-prejudicial é instalado mediante a autorização do usuário. Enquanto a instalação de um spyware maligno ocorre sem que você ou outro usuário percebam.

 

Sendo assim, esse é mais um malware muitas vezes embutido em programas fornecidos oficialmente por empresas, principalmente através de download vindos de site com aparência útil ou atraente

 

Mas uma aplicação oculta de rastreamento vem inclusa a esse arquivo fornecido, a qual reúne estatísticas e informações diversas obtidas através do uso do sistema da sua organização.

Worm

Essa categoria de malware infecta redes inteiras de dispositivos – locais ou online. Ele usa as interfaces de rede para isso, além de usar cada máquina infectada consecutiva para infectar outra.

 

Desde 2003, a maioria dos worms gerados são projetados para assumir o controle de computadores dos usuários para fins ilícitos.

 

Depois de infectados, os dispositivos são usados para enviar spams, hospedar dados de contrabando ou se engajar em ataques distribuídos de negação de serviço, como uma forma de extorsão.

Ransomware

O ransomware é uma categoria de destaque da atualidade. Logo, sua compreensão é vital para entender o que é malware e o quão prejudicial ele é para seu negócio.

 

Originado do inglês, ransom + malware, o termo refere-se a um software malicioso baseado em cripto virologia e é conhecido também como vírus de resgate ou scareware.

 

Esse tipo de malware age de modo a sequestrar (ao criptografar) seus dados ou o controle do sistema da sua empresa, exigindo o pagamento de um resgate para recuperar essas informações.

 

O usuário sofre um ataque de extorsão criptoviral para que não tenha a publicação dos dados obtidos através do sequestro realizado no sistema de rede em questão.

 

Em suma, o scareware tem a capacidade de bloquear seu computador, além de ter total controle sob os dados existentes na rede referente a esse dispositivo.

Botnet

Malwares do tipo botnet são redes de computadores as quais foram infectadas e que são forçadas a trabalharem juntos sob o controle de um hacker invasor.

Backdoor

 

O backdoor é um malware que permite a um hacker comandar o computador de forma remota e executar determinada ações.

 

Alguns exemplos de consequências do ataque desse software malicioso é: download de outros malwares; envio de dados do usuário e spams e ataques de negação de serviço (Denial of Service).

 

Você pode ver que são muitos os modelos atuais em destaque, e o quão importante e fundamental é conhecê-los para, então, ter ciência sobre o que é malware e como agir mediante tais situações.

Como fazer para reconhecer e remover um malware?

Um sinal de possível infecção por malware no seu dispositivo é se ele está lento. A lentidão pode também ser justificada por pop-us, spam ou panes frequentes.

 

Um escaneador de malware é tudo o que você precisa para checar a situação do sistema da sua empresa e verificar se existe algum computador ou dispositivo infectado.

 

E caso já tenha se tornado uma vítima, algumas medidas podem ser tomadas.

 

Para se livrar de um malware, a melhor maneira é usar uma ferramenta de remoção. Esse instrumento é encontrado em um software antivírus de qualidade.

 

Mas, levando em consideração que cada forma de malware tem características e maneiras próprias de agir, eles exigem uma metodologia específica e diferente para sua remoção.

 

Logo, a melhor saída para controlar danos e prejuízos contra malwares na sua empresa é a prevenção através de bons hábitos adquiridos no seu consumo online de informações.

 

Sempre tenha em mente a parceria com uma empresa que preste consultoria para que você possa entender o que é malware e tenha, então, melhores condições de lidar com um ataque.

 

Agora que você sabe o que é um malware e o que ele pode fazer, veja algumas etapas práticas que pode seguir para se proteger.

O melhor caminho é a prevenção

Algumas medidas básicas são necessárias na trajetória da prevenção contra tudo aquilo que se refere a o que é malware.

 

Usar softwares antivírus e anti-malware eficientes juntamente à obtenção de melhores hábitos de consumo online é um ponto de partida fundamental nesse trajeto.

 

Programas de defesa do tipo podem ser obtidos em versões gratuitas, dependendo de qual é sua necessidade.

 

E, para adquirir melhores hábitos online, comece com artigos gratuitos ou passe a procurar por uma parceira, como a Eco IT, que te auxiliará na reeducação da sua equipe.

 

A prevenção vai muito além de proteções oferecidas por alternativas de firewall, software antivírus e hardware de rede. Backups físicos ou cloud podem ser medidas a serem consideradas, por exemplo.

 

Tenha em mente que um malware explora qualquer tipo de falha de segurança no sistema operacional da sua empresa, nas aplicações e/ou extensões utilizadas por ela.

 

Isso engloba desde bugs presentes na sua rede até vulnerabilidades ocasionadas por versões de navegadores e plugins usados.

 

Ao entender o que é malware, você passa a saber como os autores desses malicious softwares agem.

 

Eles procuram erros e lacunas que possam explorar de modo a causar mais danos a seu negócio. E, infelizmente, podemos te afirmar: você não terá descanso para combater as criações que continuamente se inovam.

 

Esperamos ter auxiliado na construção de um melhor entendimento sobre o que é malware. E aproveite para conferir nosso infográfico com as melhores práticas de backup.


Compartilhe com um amigo!