recuperação de dados

Recuperação de dados: garantindo a segurança da sua empresa

As dinâmicas do mercado mudaram muito nos últimos anos. Cada vez mais o uso de informações nas rotinas empresariais torna-se não só estratégico, mas fundamental. Logo, a proteção dessas informações, e recuperação de dados, quando necessário, possuem igual importância para as organizações.

Empresas que não sabem trabalhar com isso tendem a enfrentar problemas a longo prazo, perdendo diferencial competitivo e oportunidades de crescimento.

Mais do que saber trabalhar com dados, é essencial protegê-los. Afinal, por ser algo valioso, está constantemente na mira de criminosos, principalmente hackers.

Além disso, panes e problemas de desastres tecnológicos podem ocorrer e inviabilizar as operações, caso não haja um plano de recuperação de dados eficiente.

Portanto, é fundamental garantir a segurança das informações por meio da recuperação de dados, em caso de problemas.

Continue lendo e veja a importância disso para a organização, em quais casos ela é requisitada e como realizá-la de forma eficiente.

Por que dados são tão importantes para as empresas?

Com o novo contexto tecnológico, a geração de informações foi potencializada. Todos os dias são gerados dados novos e que passam a poder ser analisados de forma precisa e rápida.

Estão entre os principais:

  • cadastros de clientes;
  • geração de leads;
  • KPIs
  • situação financeira da empresa;
  • entrada e saída de produtos;
  • fluxo de caixa;
  • produtividade dos setores;
  • o momento ideal para investir em melhorias na empresa;
  • transações financeiras, entre outros.

Eles são cruciais para um crescimento saudável, encontrar possíveis dados que indicaram o começo de uma crise (e informações importantes sobre como contorná-la), analisar brechas no mercado, entre outras situações.

Não é à toa que, uma das grandes tendências dos últimos anos, é o uso do Big Data e Business Intelligence nas organizações, de forma a explorar o máximo de potencial do que foi recolhido.

Porém, para que funcione, é necessário garantir a disponibilidade a longo prazo. Muitos dos dados são recorrentemente necessários nas rotinas empresariais.

Assim, a segurança de dados cumpre um papel fundamental no dia a dia da organização e, por isso, deve ser priorizada pelo setor de TI.

O que é a recuperação de dados?

A recuperação de dados é o processo de recuperar arquivos e documentos que estejam indisponíveis por uma série de fatores, tais como:

  • falhas em disco;
  • pane no sistema;
  • furto e perda de equipamentos;
  • ataques digitais como ransomware, entre outros.

Pode ser feito por meio de uso de protocolos para recuperação das informações ou pelo uso de backups realizados anteriormente.

Por que ela é tão importante?

Como falamos acima, os dados são essenciais para qualquer empresa, pois cumprem uma função estratégica. É por meio de sua depuração e análise que se pode explorar todo o potencial e garantir um crescimento sustentável.

Através da análise inteligente e segura deles que há tomadas de decisões mais eficientes e que podem gerar diferenciais competitivos.

Além disso, há informações a longo prazo que necessitam ser armazenadas continuamente, tais como:

  • dados de clientes;
  • contratos com fornecedores;
  • informações trabalhistas;
  • banco de dados de produtos;
  • atas de reuniões, entre outros.

Tudo aquilo que for essencial para a organização deve ser armazenado, já que pode ser necessário retomar os dados em algum momento.

Outro ponto que evidencia essa situação está nos prejuízos de imagem da corporação perante o público. Ao ter o serviço inviabilizado, perde-se a confiança do consumidor.

Em alguns casos, há divulgação do ocorrido, o que prejudica ainda mais a reputação da marca no mercado, demonstrando ser relapsa no que concerne à segurança de dados.

Também, muitas das funções internas dependem da disponibilidade de informações. Em caso de pane, o fluxo de produção pode ser totalmente prejudicado.

Assim, há prejuízos reais, proporcional ao tempo que se demore para resolver a situação. Portanto, a recuperação de dados de forma eficiente e rápida é essencial para qualquer empresa.

Isso é tão importante, que é previsto para 2018 um aumento significativo nas receitas do mercado de softwares de segurança (aproximadamente 38.2 bilhões de euros).

Em quais casos pode-se recorrer à recuperação de dados?

Normalmente a recuperação de dados é solicitada em situações atípicas, na qual há prejuízo dos servidores ou HDs que armazenem as informações do setor ou da organização.

Porém, é essencial compreender quais são os casos que levam à necessidade dessa ação. Estão entre as principais delas:

Ação de vírus e malwares

Quando há danos gerados por vírus e malwares, pode-se corromper bancos de dados, bem como ocorrer sequestro das informações.

Um dos casos mais recorrentes é o ataque ransomware. Nessa situação, criminosos aproveitam brechas de vulnerabilidade para instalar códigos maliciosos em máquinas e servidores.

Ao entrar no banco de dados, eles criptografam os arquivos e documentos, sendo os únicos portadores da chave de acesso. Assim, inviabilizam o uso das informações, solicitando “resgate” para devolução.

Algumas empresas, desesperadas para ter seus dados devolvidos, pagam valores, muitas vezes, exorbitantes e, ainda assim, não é garantia de recebimento do que foi perdido.

Outras modalidades de infecções por vírus e malwares também comprometem o funcionamento de servidores e dos dados, tornando-se necessário repor o que foi perdido, bem como garantir a proteção deles a longo prazo.

Também é necessário prevenir esse tipo de situação. Algumas medidas importantes são:

  • atualização recorrente dos sistemas operacionais e softwares utilizados;
  • optar sempre pela instalação de sistema operacional e programas originais;
  • bloqueio de sites que possam facilitar o acesso de vírus e malwares;
  • uso de antivírus em sua versão paga e devidamente atualizado.

Despreparo dos funcionários

Funcionários despreparados podem representar ameaças internas e causam prejuízos severos às informações disponíveis. Por imprudência ou imperícia, eles realizam condutas de risco e que acarretam em danos severos.

Estão entre os principais deles:

  • excluir pastas e arquivos importantes;
  • corromper arquivos;
  • gravar um arquivo em cima de outro existente de forma incorreta;
  • realizar edições inadequadas em documentos;
  • promover aumento da vulnerabilidade por meio de acesso a sites hospedados em servidores maliciosos;
  • instalação de softwares fraudulentos;
  • uso inadequado dos equipamentos, causando pane física, entre outros.

Um funcionário que desconheça medidas essenciais de segurança de dados pode repetir esse tipo de ação constantemente. Mesmo que você realize uma recuperação de dados eficiente, os problemas podem retornar.

Assim, torna-se fundamental treinar os colaboradores acerca de comportamentos e condutas adequadas ao meio empresarial, de forma a evitar este tipo de ocorrência.

É também importante ressaltar que, em caso de problemas, devem acionar o setor de TI imediatamente, para que a solução seja implementada o quanto antes. Deve-se também orientar que, caso não dominem, não tentem solucionar, para não piorar o quadro.

Falhas físicas (panes elétricas, queimas de HDs, entre outros)

Como citamos, problemas físicos também são potenciais causadores de falhas que gerem necessidade de recuperação de dados.

Um dos mais comuns, infelizmente, são picos de energia elétrica, que causam prejuízos até mesmo no uso doméstico.

Você já deve ter passado pela situação, em casa, de estar editando um documento e, quando menos esperava, ocorreu uma queda de energia e perdeu o seu progresso.

Essa já é uma situação delicada em um ambiente doméstico, imagine ocorrendo em dezenas (ou centenas) de máquinas ao mesmo tempo, no ambiente organizacional?

Também, falhas e quedas de energia podem causar impactos ao próprio hardware. Um caso comum é, após o desligamento inadequado, ocorrerem falhas de boot ou queima de componentes. Uma das peças que mais passa por problemas em relação a isso é o disco rígido (HD).

Com isso, perde-se parte (quando ele corrompe parcialmente) ou todas as informações ali contidas (em caso de queima total).

Outros problemas que podem ocasionar perda das máquinas e defeitos que comprometam a segurança dos dados são:

  • incêndios no espaço da empresa e outros problemas ambientais;
  • quedas de peças ou da máquina toda (em caso de uso de notebooks);
  • defeitos gerados pela exposição a líquidos (derramamento de água, café, suco, etc.);
  • HDs obsoletos que corrompem facilmente;
  • falhas diversas no hardware devido à sua fragilidade;
  • roubo ou furto das peças.

Alguns dos citados podem não ser tão comuns, mas a partir do momento em que há a possibilidade de ocorrência, torna-se necessário realizar medidas de precaução.

Percebe-se, assim, que as situações que podem gerar necessidade de recuperação de dados são mais comuns do que se imaginam. E muitas delas são difíceis de se prevenir por completo.

Então, mesmo aplicando toda uma política de segurança de dados, é de extrema importância munir-se de ações preventivas.

Como realizar a recuperação de dados?

Agora que sabe o quão importante é ter os dados disponíveis no ambiente empresarial e em quais momentos pode ser necessário reavê-los, é hora de saber como realizar a recuperação.

É essencial considerar que há alguns parâmetros importantes para a escolha dos métodos a serem realizados. Nós separamos os três principais:

  1. Disponibilidade

Ao recuperar os dados, eles devem ser de fácil disponibilidade para aqueles que irão utilizá-los. Afinal, de nada adianta protegê-los se eles não poderão ser utilizados por quem precisa deles.

Assim, a recuperação deve ser de fácil acesso, com um tempo não muito extenso e que, preferencialmente, possa ser feito a partir de qualquer máquina.

Afinal, como falamos acima, a agilidade no processo de recuperação de informações é de vital importância para minimizar os prejuízos ocasionados com a parada dos serviços.

Também, quanto mais intuitivo for, menor dependência do setor de TI os colaboradores terão para reaver os arquivos, gerando celeridade no processo.

  1. Confiabilidade

O armazenamento e recuperação de informações deve ser feito de forma confiável, ou seja, é preciso se certificar de que os arquivos estarão certos e atualizados em suas últimas versões.

Deve-se escolher meios que não gerem a recuperação de dados inconsistentes, corrompidos ou que possam gerar perda de dados em seu armazenamento.

É o caso, por exemplo, do uso exclusivo de HDs externos para armazenamento de backups e recuperação de dados. Tal como os componentes das máquinas, eles são dotados de fragilidade e também podem queimar ou armazenar de forma incorreta as informações, corrompendo os arquivos.

  1. Segurança

Por fim, o meio escolhido para armazenamento e posterior recuperação dos dados deve ser seguro, garantindo que as informações ali contidas também não serão corrompidas ou utilizadas por pessoas que não deveriam ter acesso a esses dados.

Como ressaltamos ao longo deste conteúdo, dados são essenciais para as empresas. E, conscientes disso, muitos criminosos agem em busca dessas informações.

Em alguns casos, as ações são realizadas com o objetivo de inviabilizar o acesso aos dados e solicitação de resgate do conteúdo. Mas também há outras formas, como a espionagem intelectual.

Com invasões, concorrentes podem obter informações sigilosas ou privilegiadas que geram diferencial competitivo e, assim, utilizarem a ideia da empresa em prol delas mesmas.

Além disso, a segurança também está relacionada com a possibilidade de não ter perdas definitivas também em casos de desastres, como incêndios, perdas de HDs, queima de compartimentos, entre outros.

Eles também devem se precaver de problemas com vírus e malwares que inviabilizam a recuperação dos dados.

Afinal, se a ideia é a disponibilidade das informações em uma situação-problema, é fundamental que elas estejam adequadamente protegidas.

Dito isso, vamos às principais formas de possibilitar a recuperação de dados:

Uso de softwares de recuperação de dados

Essa é uma opção para as empresas que, por algum motivo, não possuem backup de seus arquivos e tenham passado por problemas como:

  • arquivos corrompidos;
  • arquivos deletados inadequadamente;
  • dados que tenham sido gravados por cima de outros de forma equívoca;
  • HDs parcialmente corrompidos, entre outros.

O uso dos softwares pode ser de grande ajuda para resgatar alguns dados que tenham sido perdidos neste processo. Porém, deve-se ressaltar algumas desvantagens do método:

  • alto custo;
  • baixa garantia de sucesso;
  • alguns dos arquivos recuperados podem vir corrompidos, não valendo o custo-benefício.

Normalmente é utilizado em último caso, quando não há qualquer outro método para resolução do problema e os arquivos são essenciais para a corporação.

Backup físico

Uma opção bastante recorrente é o uso de backups físicos em HDs externos, fitas e servidores. São utilizados como um banco de dados extra e recorre-se a ele em caso de problemas.

Eles são bastante úteis e, com os avanços nas capacidades de armazenamento dos discos rígidos, permite-se guardar uma grande quantidade de arquivos em um mesmo equipamento.

Porém, ele também conta com desvantagens que complicam seu uso, tais como:

  • possibilidade de perda dos arquivos, caso o equipamento passe por problemas de funcionamento (como queima de HDs externos);
  • pode ocorrer a perda do equipamento (a perda de um HD externo que não tenha sido armazenado corretamente);
  • necessidade de disponibilidade física para o armazenamento dos itens (como locais para guardar os HDs, fitas e locais para os servidores);
  • não há flexibilidade para compra quando ocorre necessidade de aquisição de espaço extra (você irá comprar um HD com armazenamento X, sem possibilidade de adquirir mais ou menos capacidade);
  • os dados estão disponíveis apenas fisicamente, não permitindo o acesso remoto online.

Backup na nuvem

O backup na nuvem é uma forma interessante de armazenamento para posterior recuperação de dados, já que demanda menos logística, equipamentos, espaços físicos e custos para sua realização.

Além disso, ele permite uma automatização mais eficiente no processo, garantindo a sua realização, evitando esquecimentos, bem como otimizando a rotina do gestor de TI.

É um meio seguro, já que não sofre com o problema de furto ou falha do equipamento físico, garantindo a proteção das informações da empresa, reduzindo os riscos de violação.

Outro ponto positivo é a flexibilidade na compra de armazenamento, de forma escalonável. Você não precisa adquirir um pacote muito maior do que necessita, economizando na compra junto à empresa prestadora do serviço de armazenamento.

Assim, torna-se também acessível, já que o custo é proporcional à necessidade, evitando altos gastos com hardware que não será utilizado completamente no momento.

Outro ponto a ser considerado, é a possibilidade de acesso dos arquivos de qualquer lugar, por qualquer máquina, sem necessidade de recorrer a um componente físico para isso.

Assim, se um gestor que está em outra cidade a negócios precisar de um arquivo específico, ele consegue ter acesso imediato, rápido e preciso, sem necessitar recorrer a alguém da equipe para enviá-lo.

Outro ponto vantajoso para esse método é a centralização da informação: por meio da automatização pode-se organizar os dados de forma que tudo que concerne à organização esteja alocado no mesmo lugar.

Em caso de departamentos interdependentes, isso promove facilidade na disponibilidade dos arquivos, auxiliando no trabalho dos colaboradores e potencializando produtividade, diminuindo o tempo de execução de tarefas.

Outro ponto é a integridade dos arquivos. Como eles ficam disponibilizados na nuvem, uma falha de hardware não compromete a integridade da informação.

Isso garante que, a partir do momento em que o arquivo esteja armazenado, ele será recuperado integralmente posteriormente.

Porém, deve-se contratar uma boa empresa prestadora do serviço de backup em nuvem, de forma que ela garantirá a segurança dos dados e diminuir suas preocupações sobre o assunto.

É importante que o gestor de TI se dedique a investir em bons recursos de recuperação de dados, por se tratar de algo vital para a organização. Assim, irá assegurar que nenhum problema irá comprometer o dia a dia da empresa, nem causar prejuízos severos a longo prazo.

E, como você pode perceber, para realizar uma recuperação de dados de fato eficaz, o backup é parte essencial neste processo. Então aproveite e confira nosso infográfico com as melhores práticas e mantenha-se atualizado sobre o assunto.

 


Compartilhe com um amigo!