Segurança da informação: a importância de manter os softwares atualizados

A F-Secure, empresa finlandesa que desenvolve soluções de proteção a usuários no mundo digital, apresentou, respectivamente, em 2014 e 2015 dois dados preocupantes: cerca de 41% das empresas não atualizam seus softwares e em torno de 40% dos ataques cibernéticos realizados são direcionados a softwares. Isso significa dizer que 16% de todas as empresas estudadas fornecem um caminho facilitado para ataques virtuais e que, inclusive, podem ser fatais para o faturamento e sucesso da empresa.

Para que isso não aconteça com a sua empresa continue acompanhando e saiba mais sobre a importância de manter softwares atualizados:

As atualizações diminuem a vulnerabilidade

Não atualizar o software faz com que você abra caminho para possíveis invasores, já que as atualizações são as versões que contêm correções e melhorias de segurança. Não é incomum que um programa ou sistema operacional tenha uma versão lançada e, depois disso, sejam descobertas falhas de segurança e brechas para potenciais ataques.

As atualizações servem justamente para corrigir esses problemas, mas quando a empresa não atualiza seus softwares, ela mantém as falhas já conhecidas e exploradas por pessoas mal-intencionadas, deixando todo o ambiente virtual desprotegido.

O risco de perder dados importantes é reduzido

Se uma empresa não atualiza o seu software ela corre o risco de perder dados e informações importantes depois de uma invasão por falta de segurança, por exemplo.

As falhas na segurança também podem resultar em perda de informações, principalmente devido a arquivos corrompidos ou deletados por ataques. Isso significa que a empresa pode se ver às voltas com a perda de informações sobre clientes, pedidos e análises de resultados importantes para o sucesso da organização.

As incompatibilidades de sistema são reduzidas

Se uma empresa não atualiza os softwares ela também perde em produtividade, já que não pode utilizar novos recursos importantes. Quanto à segurança da informação, a empresa perde produtividade porque gastará mais tempo corrigindo problemas relacionados a ataques e invasões resultantes das falhas de segurança.

Outro problema que pode ocorrer é haver incompatibilidade de um programa desatualizado com novas soluções adquiridas pela empresa. Imagine que a empresa utiliza, separadamente, um CRM e um ERP para a melhor gestão empresarial. O software de CRM, entretanto, está desatualizado e, por isso, torna-se incompatível com o ERP. Além de causar problemas quanto à qualidade dos dados, a segurança da informação também é comprometida, uma vez que se forem integrados, as falhas de segurança do CRM podem expor o ERP.

Já quando a empresa não mantém atualizados softwares importantes para a segurança como antivírus, firewalls ou o próprio Windows, ela não apenas está criando um caminho de vulnerabilidade, mas também está impedindo que o software encontre possíveis ameaças futuras.

Isso se deve ao fato de que softwares de proteção estão sempre passando por atualizações para que sejam capazes de identificar e conter cada vez mais ameaças. Para garantir a segurança da informação é indispensável manter os softwares atualizados, pois o contrário pode, sim, gerar falhas de segurança e permitir diferentes ataques que poderiam ser evitados.

E então, como você lida com os softwares da sua empresa? Procura estar sempre atentos às atualizações? Compartilhe sua opinião nos comentários!


Compartilhe com um amigo!